GIRL POWER: CONHEÇA QUEM APOSTOU NO EMPREENDEDORISMO FEMININO

O Brasil ocupa o 7ª lugar no ranking entre os países com a maior proporção de mulheres à frente de negócios iniciais (com menos de 3 anos e meio de existência). Por aqui, são 24 milhões de empreendedoras, sendo que 44% delas decidem empreender por necessidade. Os dados foram compilados pelo Sebrae no relatório “Empreendedorismo Feminino no Brasil”, divulgado ano passado.

Para celebrar a força e coragem dessas mulheres, o dia 19 de novembro é considerado o Dia do Empreendedorismo Feminino e a data representa uma oportunidade para falar das dores e delícias de ser empreendedora no país.  A pernambucana de nascença e baiana de coração Andrea Lucena é uma delas. À frente de um negócio de comidas e drinks para eventos, a estudante de Administração da Unime Salvador trilha esse caminho há pouco mais de um ano.

Ela conta que sempre gostou de cozinhar e inventar coisas novas na cozinha, no entanto a vocação empreendedora surgiu após uma demissão. “Estava trabalhando numa empresa de Logística, que começou a fazer uma série de cortes e, nesse processo, eu fui desligada. Foi aí que um amigo me disse que estava na hora de eu ter meu próprio negócio”, recorda.

A situação inesperada e o conselho do amigo, que já conhecia os drinks e quitutes preparados por Andrea e tinha dito outras vezes para a amiga empreender nessa área, foram o empurrãozinho que faltava para a estudante transformar a paixão em fonte de renda e nascer a Frozen Foods e Drinks. “As primeiras encomendas foram feitas por amigos e familiares, mas aos poucos fui ganhando outros clientes”, conta.

Comandando tudo sozinha, desde o gerenciamento das encomendas e planejamento do tempo até a preparação dos pratos e logística de entrega, Andrea diz que hoje possui duas propostas para levar o seu negócio para outro espaço físico. No entanto, como boa estudante de Administração, ela destaca que precisa fazer uma pesquisa de mercado, analisar os pontos fortes e fracos dos locais sugeridos.

“Vou estudar tudo isso com calma mais para frente, ver se teremos uma nova onda da Covid etc. Por enquanto, continuo na minha residência”, pondera.  E é da sua cozinha que saem delícias como a barca com 30 salgados para saborear um fim de tarde com amigos ou a Torta Fit de Morango para aqueles que querem aproveitar os bons momentos mas sem remorso depois. Isso sem falar do famoso drink de cupuaçu, que Andrea não tem modéstia em propagandear. “É meu carro-chefe”.

Desafios e aprendizados – Mas se a paixão por criar na cozinha se transformou em negócio, Andrea conta que nem tudo são flores. Para ela, o principal desafio no dia a dia são as entregas, pelo fato de ter que depender dos aplicativos ou encontrar alguém que possa fazer o delivery para ela. Além disso, a empreendedora afirma que, com a reabertura dos bares e restaurante na cidade, a procura por encomendas reduziu bastante. “Tive uma queda de 73% na minha clientela”, conta.

Para driblar as dificuldades, Andrea aposta na criatividade, fazendo promoções e divulgações no perfil @frozenfoodsedrinks no Instagram e aplicando na prática os conhecimentos que adquire na faculdade cursando Administração. “Temos que estar atentos ao mercado, às necessidades dos clientes, e meus professores são os consultores que levarei como exemplo em minha vida de empreendedora, com orientações maravilhosas”, observa.

Como empreender – Se inspirou no exemplo de Andrea e quer tirar aquele projeto do papel? Ser dono do próprio nariz? O mestre em Administração Estratégica e professor do curso de Administração da Unime Salvador Constantino Oliveira enumera algumas dicas. Confira!

1 – Entender qual o propósito do seu negócio e deixar claro para o mercado.  O professor afirma que as pessoas se conectam com o seu negócio através do “porque” você faz e não pelo “o que” você faz.

2. Planejar de forma simples, mas arrojada. “Quem empreende deve ter clareza do que quer alcançar e de como irá fazer isso. Mas o planejamento não deve ser uma prisão e, sim, deixar espaço para adaptações quando necessário”, ensina.

3. Compreender o seu mercado. Segundo o especialista, um dos grandes desafios de um negócio é conseguir enxergar através dos olhos do cliente. “Criar empatia e entender a dor do outro é fundamental. Entenda a experiência do cliente através da sua trajetória e dos contatos que ele tem com a sua empresa”.

4. Inovar no seu produto ou serviço. O professor pontua que um atendimento diferenciado ou uma embalagem funcional já são vistos como inovação em um negócio. “Entenda quais são os diferenciais que trazem valor para o seu cliente e crie uma cultura onde a busca por inovação seja constante e orgânica”.

5.  Estabelecer network. Entender quem são os atores no seu universo de atuação e criar conexões com eles é fundamental, na visão de Constantino. “Participe de eventos da sua área, conheça pessoas em redes sociais quem possam ser referências ou parceiros na sua jornada e conviva com empreendedores para discutir temas de interesse”, orienta o professor da Unime.

Gabriela Bandeira
Comunicativa, antenada e com atuação há mais de 16 anos na área de assessoria de comunicação, Gabriela Bandeira é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com curso de extensão na Universidade de Jornalismo de Santiago de Compostela (Espanha). Em 2019, reuniu toda a sua experiência e expertise em comunicação estratégica e conteúdos digitais, com atuação há mais de 12 anos no segmento de shopping center, e abriu a própria agência: a Comunicando Ideias. Filiada à Associação Brasileira de Agências de Comunicação (ABRACOM), possui alcance na Bahia e outros estados do Nordeste.