Reuso de água: especialista fala sobre como é simples adotar e quanto isso pode representar de economia para o bolso e melhoria para o meio ambiente

O Brasil possui um dos maiores mananciais hídricos do mundo, mas o consumo de água só cresce nos últimos anos. O problema é que muita gente termina desperdiçando um bem que é limitado e dotado de valor. “Além do mau uso do recurso, existe uma outra questão, que é a baixa taxa de quem reaproveita a água de forma correta e consciente”, explica o Engenheiro Sanitarista e Ambiental Diego Marinho, diretor da DLM Saneamento e Engenharia.

Um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), batizado de “O Impacto Econômico dos Investimentos de Reuso de Efluentes Tratados para o Setor Industrial”, de 2018, apontou que no Brasil, menos de 1% da oferta de água provém de reuso de efluentes. Ou seja, menos de 1% da água que consumimos é fruto da reutilização. O que significa dizer que praticamente todo o nosso consumo é feito retirando água das fontes naturais. O mesmo estudo contrapõe a situação do país com a de Israel, por exemplo. Lá, onde há uma escassez natural de água, quase 90% de águas residuais tratadas são reutilizadas.

Para Diego Marinho, o reuso da água é uma forma não apenas de cuidar do meio ambiente, mas também do bolso. “Empresas e condomínios podem implementar uma estação de tratamento de efluentes, que vai gerar água tratada e conseguir reutilizar essa água em atividades dentro do próprio empreendimento. Além disso, podem montar sistemas para captação e aproveitamento de água da chuva também. Isso tudo irá reduzir o consumo de água potável em até 70%, diminuindo o impacto direto na exploração da água e, consequentemente, representar uma grande economia financeira. Para se ter uma ideia, no caso de projetos de aproveitamento de água da chuva, o tempo de recuperação do valor investido é em média de três a quatro anos, na maioria dos casos. Já somos procurados também com esse intuito”, completa o engenheiro.

“A água de reuso já é um bom negócio, especialmente em grandes shoppings, indústrias e centros comerciais de muitos lugares do mundo. Precisamos mirar nesses bons exemplos para trazer iniciativas que tenham um impacto positivo para o bolso e para o meio ambiente também”, pondera. Segundo o especialista, montar um sistema visando a reutilização da água leva em média de 30 dias (sem contar com a fase de elaboração do projeto executivo) e, no caso de condomínios residenciais, por exemplo, requer uma equipe enxuta, com cerca de 15 pessoas.

Gabriela Bandeira
Comunicativa, antenada e com atuação há mais de 16 anos na área de assessoria de comunicação, Gabriela Bandeira é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com curso de extensão na Universidade de Jornalismo de Santiago de Compostela (Espanha). Em 2019, reuniu toda a sua experiência e expertise em comunicação estratégica e conteúdos digitais, com atuação há mais de 12 anos no segmento de shopping center, e abriu a própria agência: a Comunicando Ideias. Filiada à Associação Brasileira de Agências de Comunicação (ABRACOM), possui alcance na Bahia e outros estados do Nordeste.