GINECOLOGISTAS ALERTAM SOBRE A IMPORTÂNCIA DO OUTUBRO ROSA

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, atrás apenas do câncer de pele, correspondendo a 29% dos novos casos da doença ao ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O Outubro Rosa é tão necessário justamente pra alertar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce deste tipo de câncer que, segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC), é o quinto em questão de mortalidade no mundo. As ginecologistas da Clínica Emeg Ana Cristina Batalha, Cristina Sá e Ticiana Cabral, explicam que a mamografia, junto com acompanhamento médico regular, é essencial para identificar a doença no início, antes mesmo de aparecerem outros sinais, como os nódulos na mama, aumentando as chances de cura em até 95%.

“Temos um mês inteiro dedicado à conscientização do controle do câncer de mama”, explica Cristina Sá. “A campanha ajuda no esclarecimento da doença, do diagnóstico e do tratamento, e também existe uma facilidade no acesso aos serviços de diagnóstico, locais que facilitam a realização da mamografia e uma série de ações educativas”, afirma. A mamografia de rastreamento – exame de rotina em mulheres sem sinais e sintomas de câncer de mama – é recomendada a partir dos 40 anos. Já para mulheres com risco aumentado, a mamografia deve ser anual a partir dos 35 anos de idade.

Para além da mamografia, Ticiana Cabral destaca a importância de cuidar da saúde da mulher de forma integrada. “É um mês extremamente importante pra saúde da mulher e nós, ginecologistas, mastologistas e médicos de uma forma geral aproveitamos essa campanha para fazer um alerta para a saúde feminina como um todo. Então, é importante verificar quando foi feito o último preventivo e como está a rotina ginecológica, por exemplo, explica a ginecologista.

Também é possível prevenir a doença e reduzir sua mortalidade evitando os fatores de risco, avalia Ana Cristina Batalha. “É possível reduzir em 28% o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama a partir da adoção de alguns hábitos, como praticar exercícios físicos regularmente, alimentar-se de forma saudável, não fumar, manter o peso corporal sob controle e evitar bebidas alcoólicas”.

 

Gabriela Bandeira
Comunicativa, antenada e com atuação há mais de 16 anos na área de assessoria de comunicação, Gabriela Bandeira é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com curso de extensão na Universidade de Jornalismo de Santiago de Compostela (Espanha). Em 2019, reuniu toda a sua experiência e expertise em comunicação estratégica e conteúdos digitais, com atuação há mais de 12 anos no segmento de shopping center, e abriu a própria agência: a Comunicando Ideias. Filiada à Associação Brasileira de Agências de Comunicação (ABRACOM), possui alcance na Bahia e outros estados do Nordeste.