A necessidade do isolamento social como forma de contenção do Coronavírus, sugerida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), levou muitas empresas a adotarem o regime de home office, quando o profissional passa a trabalhar de casa. Alguns elementos são fundamentais nesse cenário: disciplina, organização, método e uma boa internet. Na segunda quinzena de março a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou um aumento de 32% nas reclamações do serviço de banda larga fixa, em comparação com a primeira quinzena do mesmo mês. Alguns usuários passaram a usar mais a banda larga por estarem acessando de casa os sistemas da empresa.

Camila Quintella, diretora da Teletalk (a primeira operadora de telecomunicações autorizada pela Anatel na Bahia e também especializada em soluções de infraestrutura de redes e segurança como vídeo monitoramento e controle de acesso), alerta que a qualidade da conexão do usuário fará toda a diferença na produtividade do trabalho. Para ela, uma das sugestões é que empresas que funcionam em esquema de trabalho remoto ou rodízio, orientem os funcionários a fazerem as atividades que exijam mais banda quando não estão em home office: “Certamente isso não é possível ou interessante para todas as empresas, por isso é importante que quem sofra com isso, busque melhoria no sistema, através de upgrades ou adquirindo equipamentos adequados às aplicações utilizadas. A primeira coisa que o usuário deve fazer é entender o que de fato vai precisar. Se a pessoa apenas vai acessar o e-mail corporativo, o padrão de uso não irá fugir muito do que usa normalmente. Mas se o usuário pretende acessar servidores e sistemas remotamente, é necessário ter certeza que a banda atual comporta tais serviços”, alerta.

Antes de contratar mais banda, Camila sugere que o usuário cheque se a rede interna da sua residência suporta a nova velocidade: “Estamos orientando que os clientes trabalhem com um computador ligado via cabo ao modem/roteador para garantir a estabilidade da internet no seu computador. Como estamos todos em quarentena, o uso da rede de wi-fi da residência também ficará sobrecarregada, por isso, quanto mais os dispositivos puderem estar conectados via cabo, melhor”. Camila conta ainda que houve aumento da demanda para upgrade dos links, mas que estão fazendo de forma gratuita para o clientes. Essa foi uma medida que a empresa adotou para auxiliar que os clientes possam trabalhar de casa ao mesmo tempo que outras pessoas utilizam Netflix, Youtube e demais serviços de entretenimento via internet, aderindo ao isolamento social, diminuindo as chances de contágio pelo coronavírus.

Paloma Gomes é advogada e precisou adaptar a rotina de trabalho ao regime de home office. Essa foi a primeira vez na carreira em que ela precisou montar em casa uma estrutura de trabalho que lhe possibilitasse acessar sistemas da empresa e fazer reuniões diárias com outros setores, via chamada de vídeo. “A internet não foi uma preocupação imediata para mim, porque não tinha me atinado que o trabalho nesse formato poderia exigir mais que o habitual. Eu só usava a internet em casa para trabalho para responder alguns e-mails, o resto usava como entretenimento mesmo. Aqui em casa eu sou a única que realmente preciso da internet para trabalhar e o pacote que eu tenho está suprindo a necessidade”.

CHUVA É AGRAVANTE

O isolamento social acontece em um período onde é mais comum chover em Salvador e há uma relação direta da chuva com falhas na conexão da internet. Camila Quintela explica que tecnicamente existem três razões mais comuns para a internet estar mais lenta ou sem funcionar por causa da chuva:

“A primeira razão é que as estações de telecomunicações mais antigas, especialmente as via Par Metálico, tendem a oxidar, gerando o mau contato. O segundo motivo é quando o link é via enlace de rádio, porque a chuva acaba gerando uma barreira física para a transmissão do sinal. Por fim, a terceira hipótese e também a mais remota, é no caso de transmissão via fibra óptica, que pode perder a comunicação do sinal se uma caixa de emenda óptica encher de água”.