Inverno: por que essa estação é a melhor época para tratar o melasma?

O dia 21 de junho marca o início do inverno no Hemisfério Sul, época do ano que tem como característica temperaturas mais baixas. Esse clima mais ameno oferece diversas vantagens quando o assunto é tratamento de problemas de pele, a exemplo do melasma.

Reconhecido por formar manchas amarronzadas no buço, testa e bochechas, o melasma está entre as principais queixas nos consultórios dermatológicos brasileiros e afeta 35% das mulheres no país, de acordo com dados da Faculdade de Medicina da Universidade Paulista (Unesp). Entre os fatores mais comuns associados ao aparecimento dessas manchas, estão a exposição excessiva solar e alterações hormonais.

Embora o tratamento do melasma possa ser realizado ao longo de todo ano, a dermatologista da Clínica Áurea, Dra. Dani Menezes, explica os motivos das pessoas aproveitarem o inverno para iniciar o tratamento dessa condição.

‘’No inverno, como a gente se expõe menos ao sol e a temperatura é mais fria, o melasma tende a melhorar, ficando mais suave e discreto. É também nessa época do ano que as pessoas mais aproveitam para fazer os tratamentos para inibir essa piora e estimular a melhora das manchas’’, destaca .

Além disso, a médica dá dicas para cuidar desse problema que é tão comum, enfatizando a importância de uma pele hidratada para a melhoria da mancha, mas também pontua a necessidade de procurar um dermatologista experiente para indicar os tratamentos adequados para retirar o melasma, evitando o efeito rebote que pode agravar o problema.

‘’Para a saúde da pele é fundamental que a gente mantenha ela sempre hidratada e com o uso regular do protetor solar. Também destaco que quando for tratar o melasma, é importante evitar tratamentos agressivos, que causam irritação na pele. O recomendado é que o dermatologista elabore um protocolo individualizado, Existem casos que o tratamento pode causar o que a gente chama de efeito rebote, que é quando você tem uma melhora inicial significativa, mas essa irritação da pele causa uma inflamação nas camadas mais profunda que resulta a longo prazo em torno de 60, 90 dias na piora deste melasma’’, pontua Dra. Dani Menezes.

Dra. Dani ressalta que o tratamento do melasma é uma união entre o dermatologista e o paciente, pois suas ações diárias influenciam diretamente o tratamento. “A melhor forma de evitar o melasma é evitando a exposição solar excessiva e desprotegida, é controlar o uso de hormônios, evitar que você tenha queimadura na face, tendo isso em mente, possibilita que esse momento seja mais efetivo. Isso também faz parte de uma relação de cumplicidade do paciente com o médico fora da clínica”, finaliza a médica.