Congelamento de óvulos em pauta

 

Desde que a influencer fitness Gabriela Pugliesi falou na mídia sobre o início do seu processo de congelamento de óvulos, o assunto voltou a ser pauta e, por consequência, surgiram diversas dúvidas acerca do tema. A técnica de preservação da fertilidade está em alta e – segundo levantamento feito pela BBC News Brasil – o número de mulheres que congelaram os óvulos triplicou no país.
“Primeiro é necessário induzir a ovulação com medicamentos à base de hormônios, tendo como objetivo fazer com que o ovário desenvolva a maior quantidade de folículos possível em um mesmo ciclo menstrual”, explana a médica Sofia Andrade (@drasofiaandrade), especialista em reprodução humana. “Acompanhamos a eficácia do procedimento através de exames de sangue e ultrassonografias, o que viabiliza a medição do volume dos folículos que se desenvolveram e a mensuração da quantidade de óvulos que serão congelados”, acrescenta. A coleta acontece 35-36 horas após a última aplicação hormonal.
Ainda segundo a Dra. Sofia Andrade, a mulher é submetida a uma aspiração guiada, que é realizada com o auxílio de um ultrassom transvaginal. Vale informar que a paciente fica sedada durante todo o processo e, em seguida, o especialista congela os óvulos em um recipiente com nitrogênio líquido a -196°C.
Uma das principais dúvidas sobre o processo é sobre a idade ideal para que ele seja realizado. “Mulheres entre os 20 e 32 anos estão no auge da fertilidade. Logo, o ideal é fazer o congelamento de óvulos nesse período”, explica a médica. “Existe sim a possibilidade de congelar os óvulos aos 36, 38 anos ou mais, porém, as chances de sucesso diminuem. Isso porque o envelhecimento reduz a qualidade dos óvulos, interferindo nas chances de uma gravidez futura”, complementa.
Segundo a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), a idade limite recomendável para congelar os óvulos é de 35 anos. “Quando o congelamento dos óvulos é realizado até os 35 anos a taxa de sucesso é de aproximadamente 60 – 70%”, destaca Dra Sofia ao afirmar que o congelamento de óvulos é um procedimento seguro e que proporciona chances significativas para as mulheres que pretendem engravidar.
Não existe um limite de tempo para o armazenamento dos óvulos congelados.
Há casos nos quais a mulher engravida com óvulos congelados por mais de dez anos. Essa durabilidade é possível quando a qualidade do material é preservada, ou seja, quando o congelamento dos óvulos é realizado da maneira correta.
Gabriela Bandeira
Comunicativa, antenada e com atuação há mais de 16 anos na área de assessoria de comunicação, Gabriela Bandeira é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com curso de extensão na Universidade de Jornalismo de Santiago de Compostela (Espanha). Em 2019, reuniu toda a sua experiência e expertise em comunicação estratégica e conteúdos digitais, com atuação há mais de 12 anos no segmento de shopping center, e abriu a própria agência: a Comunicando Ideias. Filiada à Associação Brasileira de Agências de Comunicação (ABRACOM), possui alcance na Bahia e outros estados do Nordeste.