A importância da Fisioterapia para o desenvolvimento de crianças com deficiências

O tratamento fisioterapêutico ajuda o pequeno a desenvolver habilidades motoras, sensoriais, interpessoais e cognitivas, explica especialista

Focada em recuperação, reabilitação e estímulo, a fisioterapia é uma área de extrema importância para a saúde humana. Essa ciência da saúde se destaca, sobretudo, no desenvolvimento do bem-estar para crianças com deficiência. Isso porque, em meio a múltiplas abordagens terapêuticas, os fisioterapeutas conseguem melhorar a capacidade motora e impulsionar habilidades através da melhora de funções básicas.

De acordo com a fisioterapeuta e fundadora da Clínica Espaço Kids, Jamaica Araújo, a fisioterapia é fundamental entre os diversos tratamentos para crianças com deficiências. Afinal, ajuda os pequenos a conquistarem independência nas atividades da vida diária e na interação social.

“Com o foco de aprimorar as habilidades motoras, a exemplo de atividades cotidianas como andar, sentar, tocar objetos, ficar de pé e a se locomover de maneira geral, a fisioterapia ajuda a criança a interagir com os coleguinhas. Isso acontece porque, quando o pequeno passa a ter o pleno domínio de suas habilidades motoras, ele se torna capaz de participar de brincadeira com mais confiança e segurança”, explica Jamaica.

A fisioterapeuta também esclarece que os cuidados fisioterapêuticos não se resumem a crianças que têm limitações físicas como muitos pensam. A fisioterapia abrange, segundo ela, “a prevenção e o tratamento de indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, incluindo o transtorno do espectro autista”.

Com a fisioterapia, além da melhora na coordenação motora, as crianças autistas passam por terapias de estímulo sensorial, de flexibilidade e preparação para a vida adulta, afirma Jamaica. Esse conjunto de abordagem, segunda ela, vem ao encontro do cuidado especializado necessário pelos pequenos com transtorno do espectro autista.

“Em conjunto com outras áreas da saúde, a fisioterapia tem se mostrado eficaz no desenvolvimento de crianças com autismo, que é uma condição que requer, de forma frequente, o desenvolvimento das habilidades motoras, sensoriais, interpessoais e cognitivas. Desse modo, a fisioterapia é uma ciência essencial para que a criança tenha uma vida plena, independente de qual seja a deficiência”, ressalta Jamaica.

Créditos da imagem: freepik